15 de mar de 2013

O GAC e a AMURC promovem debate sobre a implantação da UFESBA



Fazendo parte de um conjunto de ações propostas pelo Grupo de Ação Comunitária-GAC em parceria com a Associação dos Municípios da Região Cacaueira-AMURC, aconteceu na manhã de hoje (15 de Março) no auditório do SINDICOM, um encontro para discutir temas como: a localização do terreno onde vai ser construído a UFESBA, diretrizes a serem tomadas após aprovação da lei de implantação da Universidade pela Comissão de Constituição de Justiça da Câmara dos deputados, fato que aconteceu na última terça-feira em Brasília, estratégias de mobilização dos prefeitos da região sul baiana para a implantação da universidade, possíveis locais para a implantação dos Colégios Universitários, dentre outros assuntos acerca do tema.
Compuseram a mesa, o deputado federal e relator do projeto de Lei de implantação da Universidade Geraldo Simões, o presidente da AMURC e prefeito de Ibicaraí Lenildo Santana, a vice presidente da AMURC e prefeita de Itajuípe Gilka Badaró, o vice prefeito de Itabuna, secretário de Planejamento e Tecnologia e membro da comissão especial criada pelo prefeito de Itabuna,Wenceslau Júnior e o coordenador  do GAC Antonio Costa que também presidiu a mesa.
Dentre os convidados, o deputado Geraldo Simões foi o primeiro a falar. Segundo o deputado, ele acredita que assim como o projeto de lei passou pela Comissão de Constituição e Justiça, irá passar por todas as instâncias seguintes, e que paralelo a isso, deve-se priorizar sim, a questão da aquisição do terreno, assim como dos espaços para a implantação da reitoria do instituto Jorge Amado e dos colégios universitários pois isso será um fator determinante para a agilização do funcionamento desses polos.
Havia uma grande expectativa entre os presentes, com relação a explanação do vice prefeito Wenceslau Júnior com relação ao terreno onde será implantado a Universidade. Segundo ele, o maior problema agora não é o terreno, e sim os locais para serem implantados a reitoria, o Instituto Jorge Amado e os Colégios Universitários, porque esses espaços já tem que estar devidamente prontos quando o projeto de lei for totalmente liberado. Com relação ao terreno, já existe algumas áreas que atentem aos 15 itens de exigências da Comissão de implantação da UFESBA, mas que estão sendo avaliadas, e que não serão divulgadas para evitar um “boom imobiliário”.
Já o presidente da AMURC Lenildo Santana, falou da importância do movimento encampado pelo GAC, unindo instituições, políticos e segmentos da sociedade civil organizada em prol de um mesmo objetivo. Lenildo fez um agradecimento especial ao GAC nas pessoas de Antonio Costa e a Jorge Carrilho, pelo convite feito a AMURC para participar dessa mobilização.
A prefeita de Itajuípe e vice presidente da AMURC, ratificou os palavras de Lenildo, agradecendo o convite para participar do almoço do GAC na quinta-feira (7 de março) onde foi formada a comissão que posteriormente se reuniram na sede da AMURC com o deputado Gerado Simões, e que naquele momento, fechavam a primeira parte do debate que é de uma importância ímpar para a comunidade de Itabuna e de toda a região, já que a vinda da UFESBA, abrirá novos horizonte.

Foto: Alessandro Dantas
Matéria: Ari Rodrigues