14 de jan de 2011

Último dia do 1º Festival de Cinema Baiano

 Piligra, Eva Lima, Loyola e André Rosa, prestigiaram o festival
A produtora executiva da Truq Vídeo,foi a grande homenageada do festival

Silvia Abreu fala sobre o filme "Esses Moços"
Petrus Pires fala sobre o filme "Césio 137"


A família Machado unida pela cultura regional

O amantes do cinema, curiosos, críticos, leigos, enfim, admiradores das artes, tiveram a chance de conhecer um pouco do que foi feito em quinze anos no chamado "Cinema da Retomada" no 1º Festival de Cinema Baiano, promovido pela Panorâmica Produções e Nuproart.
Pra mim (Ari Rodrigues) em particular, qualquer evento que fomente cultura, já tem minha aprovação. Não sou crítico, e diretamente não ajudei na produção do festival, mas, fui produtor de dois filmes exibidos, "Esses Moços" e "No coração de Shirley, por isso, se não houvesse as produções, os festivais não aconteceriam. Relato este fato para dizer da minha indignação do fato deste festival não acontecer em Itabuna, por uma falha da Fundação de Cultura local. E o tempo está passando e a cultura de Itabuna vai ficando pra trás. Já não tivemos a IV Mostra Grapiúna de Monólogos, o único festival de Monólogos em atividade na Bahia, já que por causa do não cumprimento da promessa do gestor da FICC que patrocinaria o festival no ano de 2010, a Mostra não aconteceu. Agora o primeiro festival de cinema da Bahia, um evento de relevante importância para o sul da Bahia, vai para a vizinha cidade de Ilhéus, que respeitosamente, tem um gestor cultural hábil, que não deixa escapar as oportunidades.
Fiquei mais indignado por saber que a curadoria do festival, formada por integrantes da ABCV, Associação baiana de Cinema e Vídeo, da qual sou sócio fundador (até que me expulsem) não abriu uma categoria para filmes regionais. Na noite de ontem tive esta grata surpresa, ao saber que um grupo de jovens da UESC, tentou inscrever filmes regionais e não conseguiram.
Tudo isso não desmerece o trabalho de Edson, Vitor, Cris e toda a equipe, que deram duro para este evento acontecer.
Gostaria de parabenizar o jovem Petrus Pires, cineasta e filho de um dos ícones do cinema baiano, Roberto Pires diretor e roteirista do filme "Césio 137" que foi exibido na noite de ontem.
Me emocionei com a exibição do filme "Esses Moços" no qual trabalhei como platô e que também teve a participação de Eva Lima como atriz. A produtora executiva Silvia Abreu participou de um bate papo com o público logo após a exibição.
O ilheense Henrique Dantas, fechou a noite com o filme "Filhos de João, Admirável mundo Novo baiano".
O vencedor da mostra competitiva foi "Doido Lelé" de Ceci Alves.
Contudo, gostaria de parabenizar a iniciativa dos produtores e espero que eles consigam manter o festival, e que nas próximas edições, os novos cineastas do sul da Bahia tenham a chance de mostrar suas películas".

Ari Rodrigues
Produtor Cultural